Alívio da Dor no Parto

Como ter o parto que sempre sonhou...


bolas_03-peq.jpg ElleNeckstrap.jpg Aula Pratica-Exercicios

(ver também artigo "Como Aliviar as Dores de Parto" da Revista Mãe Ideal Nov 2008)

Gravidez e parto são eventos marcantes na vida das mulheres e de suas famílias. Porém, apesar de se tratar de um processo fisiológico e natural, o trabalho de parto e o parto podem resultar, paradoxalmente, em más experiências para muitas mulheres.

Com a preparação para o parto, a equipa Gimnográvida pretende informar e capacitar a mulher e um familiar ou amigo que a irá acompanhar no trabalho de parto e o parto (usualmente o pai do bebé) para a aplicação de métodos não farmacológicos de relaxamento e alívio da dor, e de posicionamentos que os ajudarão a vivenciar a experiência do nascimento do seu filho de uma forma positiva e inesquecível.

Organização Mundial de Saúde defende que é essencial que métodos não-farmacológicos de alívio da dor sejam explorados, por serem mais seguros e acarretarem menos intervenções do que os métodos farmacológicos (tais como a analgesia epidural). Esta organização defende contudo que a escolha informada da mulher face aos diversos métodos de alívio da dor (farmacológicos ou não) deverá ser respeitada e é o que fazemos na nossa instituição.

As causas fisiológicas da dor são a diminuição do aporte de oxigénio da musculatura uterina, o estiramento cervical, vaginal e perineal durante o período expulsivo, o stress materno e o limiar baixo de tolerância à dor.

Como métodos não farmacológicas de alívio da tensão e da dor, a Gimnográvida propõe e prepara os casais para:

:: Técnicas de relaxamento e respiratórias (estas técnicas promovem a manutenção de baixo nível de ansiedade por mais tempo na parturiente, reduzindo indirectamente a percepção dolorosa e o desconforto)

:: Deambulação (a posição vertical assumida pelas parturientes durante o trabalho de parto tem sido destacada na assistência ao parto humanizado por produzir melhor efeito na progressão do trabalho de parto, pois promove a circulação uterina, permitindo que as fibras musculares cumpram com sua função contrátil de uma forma mais eficiente, resultando numa duração do trabalho de parto mais curta. A deambulação está associada a um índice reduzido de partos operatórios e o uso menos frequente de analgesia, por diminuir a sensação dolorosa das mulheres. Existem adicionalmente alguns posicionamentos que a parturiente poderá adoptar durante o trabalho de parto que a ajudarão a sentir-se mais confortável e com menos dor - alguns destes posicionamentos e exercícios específicos incluem a utilização da bola de parto)

:: TENS - Estimulação Eléctrica Transcutânea (método comprovadamente seguro, de baixo custo e isento de efeitos colaterais para o binômio materno fetal. A técnica consiste em administrar impulsos ou estímulos elétricos de baixa voltagem através de eletrodos colocados sobre a pele. Embora possa ser aplicada a qualquer momento durante o trabalho de parto, é mais efectiva nas fases iniciais)

:: Acompanhante para apoio durante o parto (Estudos apontam que as parturientes que receberam apoio, por acompanhante de sua escolha, tiveram maior satisfação global com a experiência do trabalho de parto e parto. No entanto, a presença de um acompanhante, mesmo que escolhido pela parturiente, não pode ser considerado, por si só, como sinónimo de suporte - é necessário que este acompanhante esteja preparado e tenha condições para oferecer medidas de conforto físico e emocional e outras formas de ajuda para a parturiente - a preparação para o parto é assim essencial)

:: Imersão na água (a imersão na água pode acelerar o trabalho de parto, reduzir a pressão arterial, aumentar o controle materno sobre o ambiente do parto, resultar em menor traumatismo no períneo, menor necessidade de intervenções e ajudar o bebé a nascer com mais suavidade. Estudos apontam que a imersão na água durante o trabalho de parto reduz o uso de analgesia pois alivia a dor)

Na verdade, os métodos não farmacológicos de relaxamento e alívio da dor não são eficazes a ponto de promover o alívio completo da dor, mas constituiem um instrumento eficaz para eliminar ou pelo menos reduzir a necessidade da parturiente a recorrer a medicamentos.

São muitas as práticas não farmacológicas para o alívio da dor no trabalho de parto e parto. O importante é orientar a mulher no sentido de avaliar as suas necessidades individuais, informando-a de todos os métodos não farmacológicos de alívio da dor, juntamente com o conhecimento da eficácia analgésica e dos efeitos colaterais de cada forma de analgesia, o que decerto a ajudará a fazer uma escolha informada entre as opções disponíveis - é isto que a Equipa Gimnográvida se propõe a fazer durante as suas Sessões de Preparação para o Parto

 

Uma dedicatória para as mulheres...

 

Sou mulher, sou mãe, sou deusa,

e assim mereço ser cuidada.

Se parir faz parte da natureza,

que esta força seja respeitada.

 

Respeitada pelos homens e por mim mesma,

pois fazemos a humanidade crescer.

Que as cesarianas, induções, tecnologia,

sejam usadas com magia e saber.

 

Saber que os médicos dominam,

e nós, mulheres, também.

Conhecendo o nosso corpo e instinto,

sabemos mais que ninguém.

 

Portanto, minha gente é hora

de parir como e com quem quiser.

Se durante a noite ou a aurora,

ordem é esperar quando vier.

 

Chega de intervir na natureza!

As mulheres precisam de compreender,

receber o bebé no coração,

experimentar o "dar à luz e renascer".

 

Lívia Pavitra

 

 








Serviços para Pais
Cursos para Profissionais
Catálogo de Produtos
Biblioteca Gimnográvida
Porquê a Gimnográvida?
Testemunhos dos Casais
Galeria
Rubricas TV Porto Canal

Copyright © 2002-2008 Gimnográvida, Lda. Todos os direitos reservados.
Criado, desenhado e desenvolvido por Paulo Ferreira e Edgar Esteves