Home » Serviços » Grávidas » Consulta de Fisioterapia

Consulta de Fisioterapia

Durante a gestação, o corpo da mulher passa por diversas alterações físicas e fisiológicas necessárias ao crescimento e desenvolvimento do bebé. Estas alterações podem, por vezes, causar algum tipo de dor ou desconforto, restrições em determinados movimentos, e, no limite, comprometer algumas das atividades do dia-a-dia da grávida (por vezes algo tão simples como sentar-se, andar ou dormir).

A Consulta de Fisioterapia existe para que as mulheres não desvalorizem a dor ou desconforto que sentem durante a gravidez, e se permitam a viver este período com bem-estar e qualidade de vida. Por vezes, uma simples consulta é suficiente para aliviar a dor ou impedir que ela aumente, e pode ser a diferença entre conseguir ou não descansar durante a noite.

 
Aliviar a Dor ou Desconforto

A região lombo-pélvica é a mais afetada por sintomas de dor ou desconforto durante a gravidez. As causas da dor podem ser diversas, tal a complexidade de alterações que estão a acontecer no corpo da mulher.

consulta_fisioAs hormonas libertadas durante a gravidez deixam os ligamentos mais “suaves” e elásticos, em preparação para o parto. As articulações ficam assim mais instáveis e os mecanismos de suporte da coluna deixam de ser tão eficazes, particularmente à medida que o peso do bebé aumenta.

Por outro lado, o centro de gravidade desloca-se anteriormente, e os músculos retos abdominais tendem a afastar-se, reduzindo o suporte muscular da região. Nesta sequência, é comum surgir algum tipo de dor ou desconforto na região lombar. Por vezes, a dor alarga-se à região da nádega e coxa, sugerindo um comprometimento do nervo ciático (conhecida como dor ciática).


Com frequência, a grávida tem também queixas de dor ou desconforto na região do pescoço e ombros.
Na sua origem estão normalmente hábitos posturais inadequados ou um acumular de tensão muscular resultante das alterações posturais referidas anteriormente.

O mais importante para si é saber que todos estes sintomas podem ser aliviados e que todas as estratégias utilizadas são seguras para a mãe e para o bebé. 

 
Atenuar as Alterações Posturais

Uma parte das alterações posturais que encontramos na mulher grávida são consequência natural das mudanças na biomecânica e alinhamento dos segmentos do corpo. Fazem, por isso, parte de uma gravidez saudável. Há, no entanto, um outro conjunto de alterações posturais – que surgem em resposta às primeiras – passíveis de serem atenuadas com uma adequada consciência corporal e com o reforço dos músculos mais profundos da coluna.

Se sente que a sua postura não é a mais correta e, ocasionalmente, passou por um outro episódio de dor, o ideal é procurar ajuda o mais atempadamente possível, antes que as alterações na postura se instalem de malas e bagagens e que os episódios de dor decidam ficar por mais tempo. Com aconselhamento e exercício adequado a dor não terá tantas hipóteses de levar a melhor.

 
Potenciar as Funções do Períneo

Conhecer o seu períneo é um requisito essencial para tirar o melhor partido das suas funções. Os músculos desta região fornecem suporte a órgãos como a bexiga, os ovários e o útero, que, à medida que cresce, coloca tensão adicional sobre os mesmos. Estes são também os músculos que controlam os nossos esfíncteres e, ou seja, responsáveis pela continência.

Com as alterações fisiológicas que estão a acontecer no corpo da mulher, associadas ao aumento de peso gradual do bebé, é frequente acontecerem episódios de pernas de urina em situações de esforço (como tossir, espirrar) – a designada Incontinência Urinária de Esforço ou Stress. Este é um momento importante para procurar ajuda da nossa Fisioterapeuta que, através de uma avaliação adequada, conseguirá perceber a origem desta alteração e indicar-lhe as melhores estratégias para reverter a mesma.

Um períneo funcional é aquele que tem capacidade de se contrair e distender de acordo com as necessidades do corpo. Assim, os músculos do períneo deverão ser fortes o suficiente para lidarem com um aumento de pressão (em situações de esforço, por exemplo), mas, por outro lado, flexíveis o suficiente para relaxarem e se distenderem no momento do parto, moldando-se à passagem do corpo do bebé.

E qual a melhor forma de trabalhar estas capacidades? Primeiro a consciência, depois o controlo da musculatura.
A má notícia? Nem sempre é tão simples quanto parece.
A boa notícia? A sua Fisioterapeuta tem as competências e a disponibilidade necessárias para a ajudar.

 

MARCAÇÕES:

› Para fazer a sua marcação envie-nos um e-mail para geral@gimnogravida.pt com a sua disponibilidade e número de telemóvel, para que possamos entrar em contacto consigo.

 

Veja também:

Vídeo: Prevenir Lombalgias na Gravidez e no Pós-parto